Acompanhar

sobre minha definição de alossexualidade (1/2) 

Até aqui onde as discussões chegaram sobre sexualidade, temos um entendimento mais amplo sobre assexualidade. Atualmente, assexualidade é compreendida como um espectro. Pensando nisso que tem definições como "atração ausente, parcial, condicional ou circunstancial". Eu prefiro essa do que apenas "atração por nenhum gênero"; muito embora não acho que o fato de ser vaga interfira em algo, pois não implica que seja uma atração apenas ausente.

Mesmo com tudo isso, percebo que existe uma dificuldade estranha de se definir o que é a própria alossexualidade. Teoricamente, seria "o contrário" do espectro assexual. Mas como colocar isso numa definição?

Vejo direto a definição "pessoa que tem atração sexual". Bem, ao contrário da definição vaga de assexual, não acho que definir alossexual assim seja uma boa ideia, pois acaba implicando de alguma forma que qualquer presença de atração é uma alossexualidade, o que pode atingir assexuais (que são o grupo afetado pela mesma opressão que beneficia alossexuais), podendo contradizer a ideia do espectro e até sua validade (talvez até alimentando comportamentos nocivos como "assexual estrela dourada").

Tem também quem defina como "pessoa com atração sexual considerada normal". Sim, óbvio. Mas ainda assim eu me pergunto: o que exatamente é considerado normal? Como colocar isso em palavras mais específicas, assim como a definição de cis e hétero?

Dentro do que já estudei e do meu entendimento, acho que uma forma mais específica de definir alossexual seria: uma pessoa com atração sexual frequente e constante. Essa é uma definição mais resumida. Uma definição maior poderia ser: uma pessoa com atração sexual considerada frequente e constante de acordo com as expectativas sociais.

Por que digo "frequente e constante"? Frequente é a qualidade de algo que acontece muitas vezes. Constante é a qualidade de algo que se repete de forma contínua. E essas são as expectativas sociais de uma sexualidade "normal". A atração está presente na vida da pessoa de modo que ela ocorre em vários momentos e esses momentos se repetem muito. Não quer dizer que a pessoa sente a atração o tempo todo, por longas horas do dia, não quer dizer que a pessoa não pode ter momentos onde a atração não está tão presente, e não significa insinuar que alossexuais são "ninfomaníaques" (como se isso fosse um problema).

· · Web · 1 · 1 · 2

sobre minha definição de alossexualidade (2/2) 

Minha conclusão é que o que realmente separa alossexuais de assexuais é o quanto a presença da atração sexual é relevante em suas vidas e relações, e se essa presença se encontra suficiente dentro das expectativas. E essa presença é medida principalmente por frequência e constância. Nãodiria que por intensidade, pois isso é mais subjetivo e parece não importar tanto para as expectativas. Atrações frequentes e constantes mas "muito intensas" tendem a ser consideradas perversão, distúrbio, ou imoralidade. E pessoas do espectro assexual podem ter períodos de atração intensa, e mesmo assim ainda são ppatologizadas devido aos outros critérios.

A mesma coisa pode ser aplicada para alorromântiques e arromântiques. Sobre outras atrações, não tenho conhecimento suficiente pra afirmar algo. Também gostaria de entender como é a dinâmica delas, e se esse conceito faria sentido pra elas.

Entre para participar dessa conversa
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!