Acompanhar

gênero, essencialismo, texto longo 

Estava esses dias lendo um texto muito bom falando contra o "modelo de atração dividida", que é basicamente um conceito que explica as pessoas como tendo tipos de orientações e que essas orientações podem ser iguais ou diferentes.

O texto colocou muito bem sobre como esse modelo, que era teoricamente para explicar melhor sobre atração e não cair em universalização, acabou caindo na universalização das experiências, como se todo mundo tivesse, por exemplo, orientações sexual e romântica definidas e distinguíveis; e isso também acabou reforçando essencialismo, a ideia de que pessoas já nascem com suas orientações, ou existe algo inato nelas que as fazem ter orientações destinadas.

Apesar de eu já ter pensado nesse tópico antes e mais de uma vez, o texto me fez perceber melhor como a mesma coisa acontece com os conceitos de identidade de gênero e expressão de gênero. É quase o mesmo mecanismo: colocar esses dois conceitos como aspectos separados em todas as pessoas. Sendo que há pensamentos divergentes sobre isso e nem é novidade. Algumas pessoas acham que gênero não se expressa. Eu compreendo essa ideia. Mas também precisamos considerar que, para algumas pessoas, identidade e expressão são parte da mesma coisa: a pessoa é o que é e, portanto, expressa o que é sempre.

Essa separação entre identidade e expressão pode ter funcionado pra muita gente, mas acho que agora começou a se tornar um estorvo; particularmente, para a própria não-binaridade. Nem falo das identidades influenciadas ou definidas por expressões de gênero (que já contradizem a separação). Falo das diversas experiências não-binárias que começam na própria inconformidade de gênero, e essas são muito comuns.

Muita gente da própria comunidade não-binária, devido a esse apego enorme em separar identidade e expressão, acaba policiando as experiências alheias; consequentemente, fazendo um esforço bizarro em preservar a própria cisgeneridade, colocando várias pessoas como "apenas cis que são inconformes de gênero". E, assim, pra algumas pessoas faz realmente sentido que a cisgeneridade exista dentro apenas das conformidades de gênero. Vivências são variadas. Às vezes são aleatórias. Pra algumas pessoas, ser cis se resume a estereótipos e aparências impostes mesmo. E tudo bem.

Isso tudo me fez revisar totalmente minha abordagem sobre esses conceitos.

· · Web · 0 · 3 · 4
Entre para participar dessa conversa
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!