Brilho destacado

Esse deve ser um dos textos mais longos que já escrevi. Apesar de estressante, eu gostei do que fiz. Nesse texto eu trouxe toda uma discussão sobre a definição de bi, onde critico as premissas da definição de "atração por todos os gêneros" e exploro as muitas possíveis experiências de atração bi.

Muita gente vai me odiar por causa desse texto, mas tá aí. Achei necessário falar disso. Espero que gostem! E, como sempre, estou aberte a troca de ideias e disponível para dúvidas.

Aviso de conteúdo para reducionismo de gênero, assimilacionismo, exclusionismo multi e monossexismo reproduzido, apagamento assexual, menções a termos obsoletos, menções a retóricas e concepções cissexistas e diadistas, ironias, links externos.

bloguealternative.wordpress.co

Brilho destacado

textão, reflexões e críticas minhas sobre definições e narrativas de parte da comunidade bi, envolve colonialismo/exorsexismo e assimilacionismo (1/5) 

Cá estou mais uma vez voltando a essa discussão tão sofrida. Talvez esse texto não tenha efeito nenhum, mas acho importante eu registrar em minha própria rede o que eu acredito e por que acredito. Gostaria até de estar errade em algum lugar aqui. Sigo pensando que não estou.

Parece uma briga fútil por definição, sendo que definições não são ou precisam ser seguidas tão a risca. Pode parecer até birra. Mas não tem só um grupo envolvido aqui, e esse negócio, infelizmente, me atinge também. Tudo será explicado.

Como muita gente pode estar sabendo, tem várias definições da orientação bi por aí. A discussão da definição vai além, sempre caindo naquela questão de bi e pan, e acaba indo para outras orientações multi. O que poderia ser um debate saudável e produtivo virou clubinhos querendo um termo pra chamar de seu e pra pisar em todos os outros.

Uma definição que esteve sendo muito espalhada e imposta nos últimos anos é que bi é atração por todos os gêneros. Não falta perfil de anônimes no Tuiter escrevendo isso em caixa em alta e xingando quem discorda. Acho um pouco esquisito quando essa definição vem precedida ou seguida da afirmação de que “pessoas bi são muito diversas e só cada pessoa bi pode se definir”. Okay, ser bi é diverso e único, mas tode bi se atrai só por todos os gêneros. Até aqui poderia nem haver uma real contradição, já que mesmo dentro dessa coisa restrita de “todos os gêneros” poderia existir uma pluralidade imensa.

Mas de onde está vindo essa definição? Acho que essa é a pergunta mais importante aqui. Qual é a premissa de que bi é atração por todos os gêneros? Pois bem. Nas minhas pesquisas, e isso pode facilmente ser confirmado com qualquer “influencer bi” por aí, essa definição parte de três premissas:

1-que atração por todos os gêneros funciona com base em leitura social, e só existem duas leituras de gênero, portanto, qualquer gênero se encaixa nas duas leituras.

2-que toda a diversidade de gênero está dentro de um espectro, tal espectro parte de dois polos – masculino e feminino, e que pessoas bi se atraem por todo o espectro.

(pra mim, a premissa 2 é apenas a 1 mas reciclada)

3-que isso foi constatado n’O Manifesto Bissexual, portanto é a verdade e não há o que contestar.

Brilho destacado

Finalmente, chegou o dia prometido previsto pelas estrelas!

Lancei meu primeiro vídeo da minha primeira apresentação do meu primeiro canal do YouTube. Por enquanto, só tenho a conta nessa plataforma mesmo.

Espero que gostem. E, por favorzinho, ajudem essu minúscule pseudo-future-influencer curtindo o vídeo, compartilhando, e se inscrevendo no canal.

youtu.be/qIKjV-FCDMQ

Brilho destacado

Enfim meu texto sobre os termos monossexual e alossexual. Desenvolvi o tema da melhor maneira que consegui, e deixei muitas referências. Espero que ajude a melhorar as discussões sobre monossexismo e alossexismo.

medium.com/@oltiel/quem-tem-me

Brilho destacado

sobre não-monogamia política 

Esteve rolando por aqui e em outras redes alguns conflitos sobre o que a não-monogamia política prega. E acho que eu poderia contribuir de alguma forma, porque também não estive satisfeite com a comunicação e umas postagens que aparecem por aí.

Quando se critica monogamia, não é a relação a dois das pessoas. Está se criticando uma estrutural social que coloca como padrão e ideal um tipo de relação, que é baseada num contrato de exclusividade afetiva-sexual que deve ser cumprido. E junto com tudo isso vem muitos estigmas e efeitos negativos, como traição ser passível de punições, culpa por desejar outras pessoas, casos de violência (em especial contra mulheres), e outras coisas.

Essa relação a dois pregada por essa estrutura não é saudável porque já pré-define uma ausência de autonomia, que ainda assim é mascarada como se fosse "uma livre e espontânea escolha". O que discussões de não-monogamia estão trazendo é questionar esse modelo de relação, e propor que relações produzam autonomia nos indivíduos. A exclusividade produz autonomia? Como ela produz se ela retira a liberdade de escolha e exige que os corpos se relacionem unicamente com um?

Inclusive, um babado pra vocês: essas discussões estão questionando até o conceito de relação aberta. Porque a relação aberta quase sempre envolve um contrato também, que não é de exclusividade, mas com condições; e isso também não produz uma autonomia plena. Relação aberta por quê? Por que antes estava fechada? Há a possibilidade de fechar de novo? Por que uma relação deveria se descrever como aberta se ela é livre de acordos e baseada apenas na autonomia?

Tudo isso pra dizer que o problema real aqui não é um casal ser um casal. É o casal se sujeitar a todo um modelo socialmente imposto que lhes tira a autonomia. Nem entro no mérito do ciúmes, porque isso muita gente sente e pode ser trabalhado. Falo da exclusividade obrigatória. Se ela não existe, o casal é apenas um casal curtindo sua autonomia, são duas pessoas que, nas circunstâncias atuais, estão apenas entre si. Isso é possível. Tem gente que só consegue desenvolver afeto com mais uma pessoa. Tem gente que só tem energia pra administrar uma relação. Há circunstâncias em que um par de pessoas fica apenas entre si porque não tem mais ninguém interessante. Mas o acordo da exclusividade não existe. Não precisa existir. É isso.

Dei uma lavada no cabelo. A cor ainda está aqui. Isso que é trabalho de qualidade! Quero essa cor por um tempo ainda, vou tentar manter ao máximo.

reclamação, desinformação sobre bi e ace 

Tentei não passar o mês me estressando com desinformação sobre a comunidade. E cá estou no último dia me estressando com um vídeo querendo "explicar" a sigla, mas... a) definiu bi como atração só por homens e mulheres; b) definiu assexualidade como "falta de desejos sexuais"; entre outros pormenores que nem vale comentar. Ai, ai, viu...

Oltiel refletiu

The naturalistic fallacy of #capitalism. As always, if you know the weasel words to tick off on the bingo card then this kind of propaganda no longer works on you.

Watch out for markets or the financial system being described as "natural" or "balanced".

Look for the word "healthy" gratuitously prefixed before some market-related terminology. eg. "a healthy profit".

Watch out for work being described as being positive for health, without any reference to the content or intensity of the work.

They (waves hands) know that the experience of capitalism for most people is miserable, so you sometimes see naturalistic stuff appended to the language to make things seem nicer. The exploitation not so gratuitous. Maybe you are just "naturally" working 12 hour shifts because "the market" is "healthy".

Marx did talk about "capitalism's nature", but what he meant by that is that it operates under its own artificial logic, like a game of chess. Certain consequences fall out from a given ruleset.

comida 

Meus bolinhos de bacalhau veganos foram um sucesso!!! 💚😋

comida 

Enfim, hoje irei fazer algo que enrolei semanas pra fazer: bolinhos de bacalhau vegano. Espero que a galera aqui em casa goste. 🥺👉👈

Oltiel refletiu

desinformação 

a resposta certa a "qual é seu pronome" é sempre "pergunta do resto do meu conjunto também, covarde"

Desabafo de ume humilde criadore de conteúdo: o que sinto com meu público na página Neolinguagem é o mesmo que sinto desde sempre com todo conteúdo que faço. Parece que a maioria não presta atenção em nada do que trago, falo, explico. Às vezes, me pergunto por que mais da metade das pessoas que me segue estão ali. Não vejo sentido nenhum em seguir alguém cujo conteúdo eu não engajo nada.

Oltiel refletiu

Caco de vidro

Sulfato de sódio
O amor é um elo
E eu sou o ódio

Fato tragicômico sobre hoje: há exatamente um ano eu cansei da Lacrei, terminei meu voluntariado na raiva, e nunca mais acompanhei o projeto. Saí dele me sentindo usade, como se minha função era só fazer tudo parecer inclusivo (principalmente com uso de neolinguagem). Quase nada do que fiz e expliquei lá teve efeito, passei vários estresses de graça (literalmente). Senti que perdi meu tempo, sério mesmo. Espero que o projeto melhore (o que seria um milagre).

Oltiel refletiu
Oltiel refletiu

Finalmente, chegou o dia prometido previsto pelas estrelas!

Lancei meu primeiro vídeo da minha primeira apresentação do meu primeiro canal do YouTube. Por enquanto, só tenho a conta nessa plataforma mesmo.

Espero que gostem. E, por favorzinho, ajudem essu minúscule pseudo-future-influencer curtindo o vídeo, compartilhando, e se inscrevendo no canal.

youtu.be/qIKjV-FCDMQ

Depois de meses enrolando, posso afirmar que lançarei um vídeo novo no canal em breve.

Não pensei que eu ia gostar tanto do meu cabelo verde turquesa. Com certeza é uma cor que eu repetiria mais vezes. Quero manter essa cor ao máximo. Depois dessa, ainda não decidi nada. Talvez eu pinte o cabelo de marsala.

Oltiel refletiu

referente à pandemia 

Gente, cês também não ficam com aflição geral desse número imenso de gente que nem usa mais máscara? Sério, quase não tenho mais vontade de ter qualquer contato físico com muita gente que conheço por causa disso. Parece mesmo que se convenceram que acabou a pandemia.

Oltiel refletiu

@mwlucas non-political is a myth.

There is just intentionally and unintentionally political.

And politics you support and don't support.

At most 'non-political' means "supporting the status quo'

Confesso que é tanto incômodo ir me depilar porque toda vez sou maldenominade. Hoje corrigi duas situações assim, me apresentando com a/ela/-a, e... deu certo. Só se corrigiram com uma naturalidade, sem drama, enfim. É uma situação inusitada pra mim. Estou me sentindo bem, mas me sentiria melhor com neolinguagem mesmo.

subtute, sobre "estar no armário" 

Uma vez fui numa roda de conversa de uma faculdade, e conheci um conceito interessante: o armário de vidro. Fala de pessoas que estão no armário ao mesmo tempo que não consegue "esconder" o que ela é. Talvez seja mais frustrante ainda, até pra quem é de fora, porque fica todo mundo só esperando pela "revelação" daquilo que todes sabem. E é triste presenciar a pessoa negando o que ela é também. Imagino que isso deve ser mais estressante pra pessoas assim do que pessoas que ainda conseguem "se esconder" melhor.

Mostrar mais antigos
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!