@monace got me excited and thinking about ace non-fiction books. I have dreams of building a little library of all non-fiction books related to asexuality, aromanticism, amatonormativity, compulsory sexuality and so on.

Books I already have:
- Asexual Erotics: Intimate Readings of Compulsory Sexuality
- The Invisible Orientation: an Introduction to Asexuality
- The Importance of Being Monogamous: Marriage and Nation Building in Western Canada to 1915

Books on the list:
- Minimizing Marriage
- Understanding Asexuality
- Ace: What Asexuality Reveals About Desire, Society, and the Meaning of Sex
- Asexualities: Feminist and Queer Perspectives
- Asexuality and Sex Normativity
- Undoing Monogamy: The Politics of Science and the Possibilities of Biology

This is actually a sadly short list. Its possible to collect them all on one shelf.

Any other book suggestions?

#asexual #aromantic (although no books specifically focus on aro stuff, some monogamy critique fits)

Today's #Maille! Nonbinary Pride Snowflake Pendant V3! Purple, Yellow, and bright silver anodized aluminum join with black and gold connectors in the Helm Chain weave for a symbolic flower pendant. ko-fi.com/s/c566968781 #jewelry #LGBTQIA

Estou com uma nota de 200 na minha mão.

Sinto até o peso...

...da inflação rs

A Carteirinha do Orgulho Abrossexual está finalizada. 🍉

(♥️ + 🔄 = Minha felicidade) | :coracoesPixAbro:

:anartrans_symbol:­ Trajetória :anartrans_symbol:­

Estou iniciando minha primeira grande jornada, que começa no interior de São Paulo com destinho a Taguatinga no Distrito Federal. Estou colocando minha vida numa kombi, o que não couber vai ficar pra trás.

Já deu pra entender que a vida "normal" não é pra mim, que a sociedade como é posta não é para pessoas como eu , que tampouco eu vou me adaptar a ela e que tentar demais só me deixou mais cicatrizes. Está na hora de tentar outros paradigmas.

Se vou mesmo virar nômade, se vou encontrar algo inesperado, tanta faz, importa manter os caminhos abertos e o corpo fechado, já dizia amigo Exu.

Vou contar por aqui um pouco desse jornada.

Aqui é Alice, da Rede Mocambos, em rota de Casa de Cultura Tainã para Mercado Sul!

🚐 :brilho2transgenero:

Estou torcendo pelo sucesso de pessoas NHINCQ+!

da outra rede 

Vocês conhecem algum neurotípico?

Eu tenho alguns na família e trato como se fossem pessoas normais 💚🥰😍😘💚

É muito importante dar atenção pois esses anjinhos precisam de mt amor e carinho igual nossas crianças 🥰

Só eu acho que gerúndio parece um daqueles nomes "antigos", tipo Jerônimo, Gertrude, etc?

shibari no motorhome 

eu sei, nem tah tao benfeito, mas sao coisas nao pessoas, o bujao nao reclamou hahaha

Feliz Dia das Mães para todas as mães queers, pretas, e das periferias! 💗

Pessoas, a partir deste mês estaremos ocasionalmente fazendo sessões extras de filmes, para agrupar os que não possuem legendas em português.

Esta é a primeira seleção destes filmes; são todos filmes brasileiros, então seu áudio é em português. Qual será o primeiro a ser assistido?

tarô 

talvez algum dia eu tire umas cartas usando essa arrumação:

antagonismo mogai 

Piadas à parte, prefiro mais me declarar contra exclusionismo ou a favor de microcomunidades do que "pró-mogai" ou "contra antimogai". Acho que aqui esvaziaram ainda mais mogai. Importaram o termo já esvaziado da anglosfera, e deram mais uma piorada em cima do termo.

Acho meio vago eu declarar apoio a mogai (o que eu de certo modo ainda apoio), pois exclusionismo é algo que perpassa por mogai e vai além disso também. Considerando que tem gente ace e/ou aro exclusionista, pessoas a favor de gays e lésbiques NCLs mas não de outras formas de neolinguagem além de um "gênero neutro padrão", e até gente poli/abro/pomo que se posiciona contra "esse monte de rótulo aí", isso mostra que a questão é mais complexa.

Nem sei mais o que essa juventude reacionária LGBT- entende por mogai. Mas está evidente pra mim que exclusionismo chega a certos grupos guarda-chuva já apagados pela hegemonia "LGBT", a certas pessoas com posicionamentos inconformes de gênero menos comuns, e até a microcomunidades bem específicas que são/serão aceitas por causa de histórico ou de serem termos abrangentes o suficiente.

Uma premissa verdadeiramente oposta a mogai, falando mais na raiz do negócio, seria contra basicamente qualquer grupo que não fosse ou não quisesse ser assimilado em L/G/B/T, ainda com muitas ressalvas, tipo o B se referir a pessoas atraídas apenas pelos gêneros binários e o T se referir a pessoas trans binárias ou ao menos não-binárias transfem e transmasc.

Independentemente de qualquer coisa, esse antagonismo mogai continua sendo um verdadeiro lixo e desserviço. E a quantidade imensa de gente de grupos marginalizados aderindo a isso só comprova o quanto a despolitização e a necessidade de se assimilar ao sistema ainda são problemas gigantescos.

Mostrar conversa

reflexões e comentários; envolve transmedicalismo, cissexismo, exorsexismo e discursos anti-neolinguagem (1/2) 

Sobre a moça trans que ontem causou polêmica por várias declarações problemáticas sobre ser trans, pessoas n-b e neolinguagem, não sei bem por onde tudo começou. Novamente fico sabendo de alguém por causa de tretas. Isso é um tanto frequente. Só conheço pessoas da comunidade quando fazem alguma merda.

A pessoa no caso falou que pessoas n-b não são trans (dentro do entendimento dela), disse que "até onde sabe" pessoas trans têm disforia, e então atacou neolinguagem dizendo que "acha que não é prioridade". Foi um combo de tudo isso. É uma mistura complicada de muita desinformação e confusão. Depois ainda teve um vídeo curto de ela reclamando de alguém perguntar "o pronome" dela depois de ela ter feito tanta plástica.

Ela ainda fez um vídeo de 10 minutos todo atacando "linguagem neutra". Não passei de 2 minutos. Me recuso a assistir o que já sei, pois são sempre as mesmas falácias e os mesmos equívocos sobre o assunto.

Porém, teve um detalhe que me chamou a atenção: a própria pessoa declarou que já se identificou como n-b e já usou "pronome neutro". Depois se percebeu mulher trans apenas, e depois "desistiu" da linguagem neutra.

É uma questão muito complicada. De início, é fácil julgar a pessoa como uma exorsexista típica que nem vale nosso tempo, que agora vai ganhar plataforma em cima disso, e que está sendo "merecidamente cancelada". Porém, eu decidi tentar outra abordagem.

Até escrevi um texto pra ela, explicando todos os pontos de cada tópico onde ela errou, onde não entendeu. Quis tratar aquilo de uma forma pedagógica. Apesar da raiva que me deu, percebi analisando com mais frieza que ela não é uma pessoa ruim. E ume amigue foi me auxiliando com outras perspectivas. E então fui percebendo umas coisas.

Resumindo: aquela pessoa chegou num ponto onde ela não acredita que linguagem neutra é algo que sai das bolhas da Internet (eu não tiro muito a razão dela e já explico), ela foi pressionada demais a passar como mulher e agora encara qualquer necessidade de reafirmar isso como ataque (foi o que ela entendeu com o pronome), e ela veio de uma bolha própria com entendimentos limitados sobre ser n-b (nem sempre as pessoas sabem usar a Internet pra se informar). Tudo isso foi dito subliminarmente por ela em meio a todas as postagens problemáticas.

valorize sua revolta: política, centrão, cpi da covid, história do brazsil 

qm tá acompanhando os babados da cpi viu q hj a principal esperança contra o bozo, pra qm acredita em politica institucional, eh uma figura bizzara mas mto emblematica da nossa politica, um dos q melhor representa o conceito de centrão, um politico q ja fez acordo com todas as bases governistas desde a redemocratização (vou deixar um link aq embaixo pra quem quiser saber mais)

eh curioso como isso reflete essa mania do estado brasileiro de seder a pressão popular sempre indiretamente, através de acordos e passações de pano

tipo a redemocratização, q não rolou por causa das diretas já, aquele movimento lindo q levou um monte de gte pras ruas, mas jah tava obvio q a ditadura n ia conseguir se manter, então fizeram um monte de acordo envolvendo inclusive a anistia dos criminosos de guerra

isso rola por aq desde a colonização e a independência, revoltas são violentamente massacradas pra depois a benevolencia estatal atender gentilmente as demandas populares, como rolou tb na abolição da escravidão, na proclamanção da república, etc etc

esse papo de q brasileiro eh um povo passifico eh uma imposição dos detentores do poder, uma cultura estabelecida a força pra manter poderosos no controle dos rumos da história, independente das conjunturas

estão nos tirando, desde o começo, a legitimidade das nossas revoltas, nos deixando alheies, ou alienades, das rédeas dos nossos destinos

nessa realidade, mis amigues, todo sentimento de revolta eh ouro! lembre-se, ao se olhar no espelho, sua revolta eh legítima, valorizem as revoltas das pessoas a seu redor, deixem q os gritos presos nas gargantas sejam ouvidos, temos mto com oq nos indignar

brasil.elpais.com/brasil/2021-

Para quem ainda não conhece, esta é uma conta utilizada para divulgar dias e horários de transmissões de filmes com representação e/ou temática NHINCQ+.

O próximo filme a ser transmitido será Better than Chocolate (Melhor que Chocolate), no dia 02/05 às 16h no horário de Brasília (UTC-3).

Para poder ver postagens com links das transmissões ou do Dudle das decisões de horários, é necessário seguir esta conta! Mais informações estão disponíveis no perfil e nos brilhos destacados.

#Seattle street art featuring Laverne Cox, and her quote "It is revolutionary for any transperson to choose to be seen and visible in a world that tell us we should not exist."

#OurStreets #trans

Mostrar mais antigos
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!