Valkyria Chronicles (spoilers), Segunda Guerra Mundial, nazismo, antisemitismo 

Andei jogando o primeiro Valkyria Chronicles e estou atualmente no capítulo 15. O jogo é basicamente uma recontagem da Segunda Guerra Mundial numa lente de anime e com um jogo estilo Fire Emblem. O país que você luta a favor é basicamente a Suíça, só que com um exército competente, lutando contra uma invasão do Império, que são basicamente nazistas.

O jogo até toca em assuntos como genocídio de um povo, ou sobre os terrores e mortes das guerras. Mas no geral eu achei que o jogo toca de forma bem superficial nesses assuntos mais pesados, com posições seguras sobre os assuntos do jogo, como "racismo é ruim", sem ir muito a fundo de como funciona um racismo estrutural.

No entanto achei que a interação entre personagens e o desenvolvimento de algumes, como uma personagem que aprende a lidar com o racismo dela, são pontos mais fortes do jogo. Não dá pra fazer romance que nem Fire Emblem, mas tem vários momentos onde personagens principais podem mostrar sua personalidade em cutscenes opcionais.

Quanto ao gameplay, é bem sólido na questão de estratégia, é mais fácil de manter membres do time com vida que Fire Emblem (mesmo quando alguém perde toda a vida, você tem a chance de resgatar antes que ocorra permadeath) e não tem nenhum tipo de vantagem exagerada como o triângulo de armas, as classes em geral são bem equilibradas e é possível lidar com vários obstáculos independente da classe que você está controlando.

Resumo: é um jogo que usa como cenário uma versão anime e fantasiosa da Segunda Guerra Mundial, apesar de tratar o cenário de forma relativamente superficial, é emocionante ver o desenvolvimento e a relação entre personagens. O gameplay é sólido sem ser tão punitivo quanto Fire Emblem. Recomendo se você gosta de Fire Emblem e talvez queira um cenário mais "moderno".

Eu estava pensando em escrever pequenos reviews ou impressões aqui no Mastodon, de jogos, filmes, seriados, etc.

E eu queria começar escrevendo sobre um jogo que joguei recentemente chamado Frostpunk.

Para um jogo de simulação de cidade e estratégia em tempo real, é um jogo muito bom, pra quem gosta desse tipo de jogo eu recomendo. E realmente faz sentido chamarem de "survival sim", já que o jogo em si é bem estressante e estrategicamente apertado, num bom sentido.

No entanto, o outro lado emocional do jogo eu sinto que acaba não ressoando muito bem, por causa de como o jogo é estruturado (você vê o jogo numa visão "god mode" e é muito distantes das pessoas que estão no jogo) e como o jogo é de estratégia, é difícil não pensar nas coisas como simples números, já que tudo que você faz tem números nas consequências e benefícios.

Então você consegue saber por exemplo que uma ação sua vai custa uns 10% de esperança e você vai ganhar dinheiro com isso, e quando você sabe que você tem esperança de sobra, é difícil pensar na sua decisão como uma decisão ética e não apenas numérica.

Acho que o jogo tenta ser um "This War of Mine" demais sem te colocar perto de personagens que essas decisões importam. É muito fácil decidir deixar pessoas do jogo morrerem quando você apenas pensa no jogo como apenas números.

Resumo: recomendo o jogo pela jogabilidade/estratégia, não recomendo muito se você busca um novo jogo emocional do estúdio que fez This War of Mine.

Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais aqui!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!