Mostrar mais recentes
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

capacitismo 

Assim, eu ainda relevo certas coisas quando percebo que não é por mal ou quando não são tão estigmatizantes assim.

Eu acho que elogiar alguém chamando de inteligente, ou falar sobre empatia como algo que deveria ser sentido por pessoas marginalizadas, são menos estigmatizantes que certas palavras, como idiota ou louco.

Ainda assim, é uma pena que pessoas com deficiência e neurodivergentes tenham tão pouca voz nessa questão, pois a maioria das pessoas - e isso inclui até quem se diz esquerdista ou progressista ou revolucionárie - não quer abandonar termos capacitistas (afinal do que vão xingar es outres, né?). Já até desisti de divulgar aquele texto meu sobre capacitismo porque sempre flopa (e não acho mais que o algoritmo seja o maior problema).

E isso que, ainda assim, até pessoas que advogam contra capacitismo linguístico às vezes cometem umas gafes, tipo "não use tal termo, em vez disso use [insira outro termo capacitista]".

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Não me recordo onde exatamente vi isso, mas vi uma postagem bacana sugerindo tratarmos nossos animais de estimação com linguagens variadas, incluindo neolinguagem. É um bom exercício pra se acostumar com neolinguagem e acertar tratamentos num geral. Preciso fazer mais isso, aliás.

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

sobre identidades de gênero e exorsexismo, toot longo 

Uma questão que muita gente precisa entender acerca de "que tipos de identidades de gênero podem existir" é que gênero é uma categoria vaga que significa coisas diferentes para pessoas diferentes, e que é meio paradoxal no sentido que categorias existem porque pessoas dizem que elas existem.

Por conta de uma visão cissexista, afetada também por uma série de outras opressões, muitas pessoas só sabem sobre a existência de homens e de mulheres, e justificam elas com base em certos corpos, papeis de gênero, atrações e afins.

O motivo de vários setores da sociedade ocidental terem parado de ver sentir atração por certo gênero binário como sinal de que a pessoa é "mais ou menos do outro gênero binário" (especialmente quando tal pessoa é cis) é que várias pessoas reinvindicaram a possibilidade de atração pelo mesmo gênero (ao invés de reinvidicar que eram trans por conta disso, entre outras possibilidades). A mesma coisa vale para a aceitação de pessoas trans binárias, ou de pessoas cis que não seguem o papel de gênero imposto: outras possibilidades do que é homem e do que é mulher passaram a ser aceitas (ao menos por parte da população).

Só que a mesma coisa vale para identidades não-binárias também. Uma identidade como gênero neutro existe porque pessoas refletiram sobre como querem ser categorizadas e decidiram que seus gêneros são neutros. O gênero de alguém pode ser relacionado com monstros ou aliens ou sentimentos ou animais ou energias porque estas pessoas decidiram que é isso o que mais faz sentido para elas. Pessoas descrevem seus gêneros como afetados por raça, intersexualidade, religião ou neurodivergência porque refletiram sobre suas experiências e resolveram reconhecê-las como tal.

Então, de certa forma, entendo que pode não fazer parte da noção de gênero de alguém que algumas das experiências citadas sejam possíveis. No entanto, tal noção faz parte de uma visão limitada de gênero que prejudica todas as pessoas que não agradarem às normas do momento. É por isso que cada indivíduo que queira combater o cissexismo precisa reconhecer a identificação pessoal como verdadeira e normalizar identidades de gênero que fogem das concepções comuns.

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

A versão longa da justificativa de colorid.es ter silenciado mstdn.social

Aviso de conteúdo: Já que este texto se trata de ações de moderação, vão haver exemplos relativamente leves de postagens com intolerância, violência e conotação sexual. amplifi.casa/~/Asterismos/a-ve

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Eu entendo a estranheza que causa quando neolinguagem chega em frases como "umes des outres", "entre es nosses", "para es mis", etc.

Mas a gente precisa passar por cima disso se quisermos normalizar essa novidade. Até coisas básicas como artigo e e terminações -gue e -que causam estranheza em gente que quer implementar a neolinguagem. Não gosta de tal proposta? Proponha outra coisa.

Alternativas dentro da gramática padrão existem também, caso sua preocupação seja tornar a frase compreensível para o máximo possível de pessoas. Mas "ser estranho" não é argumento. Toda novidade é estranha. Nunca vamos sair do lugar com essa desculpa.

Roubo, desânimo 

Os negócios já não vão bem no bar onde trabalho (não mesmo), e na primeira guarda baixa levam a bicicleta que usavamos para fazer as entregas (que era também do meu amigo de infância e mentor, na cozinha).

Ainda temos a moto, para as entregas longe, ao menos. Ainda assim, é uma perda que vamos sentir.

Tá cada vez mais difícil manter fé e otimismo ultimamente, viu... :blob_pensive:

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Aluguel é extorsão. Ninguém devia ser obrigado a pagar pra viver. Imobiliárias são organizações criminosas. Bebam água. Boa tarde obrigado

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Ok, eu finalmente terminei de organizar os emojis (1/2?) 

Ainda temos ~3 páginas de emojis desorganizados, mas é por conta de não ver tanta necessidade de categorizá-los.

Daí temos:

100 e afins, que tem "100s de orgulho" como :100_arcoiris:, mas também :zerozerozero:, :ten: e tal.

Avisos, que é principalmente pra coisas que dão avisos sobre postagens, níveis de energia e etc. Então ali tem :18_mais:, :BoostOK:, :FavNo:, :mencoesPorFavor:, :bateria_vazia: e tal.

Bandeiras de locais, no momento tem as de estados (:bandeira_rs:, :bandeira_ac:, etc.) e :BandeiraTransBR:.

Blobs, que reúne emojos como :blobshrug:, :GalaxyBlobCool:, :NeonBlobThinking:, :blobS2bigender:, :blobcatrainbow: e tal.

Caras e emoções diversas, que reúne praticamente tudo que não está em outras categorias mas que se usa pra ajudar a expressar tons, emoções e etc., como :angery: e :SleepingUnarist:.

Comida, que reúne comidas e bebidas.

Emojos de orgulho diversos , que reúne todos os emojis de orgulho que não estão em outras categorias, como :s2pixAgenero:, :estrelaIpsogenero:, :excla_abro: e :verifPanromantica:.

Enfeites, que reúne corações, brilhos, fitas ou outras coisas que são mais usadas para embelezar textos e títulos do que para informar ou sinalizar algo. Acho que a exceção é :meia_estrela: / :estrela: / :estrela_vazia:, que a intenção era ter disponíveis para usar em resenhas ou coisas assim, mas também não sei se elas contam como outra coisa, e de certa forma ainda dá pra usar elas pra enfeitar.

Fediverso, que tem logos de instâncias (como :colorides:) ou software (como :plume:), e algumas coisas extras (como :GrupoPessoas: que representa a linha do tempo local).

Homestuck, que tem símbolos de aspectos (como :hs_mind: e :hs_time:) e das crianças (como :hs_bsquid: e :hs_ahat:).

Letreiros, que tem praticamente todo emoji que é só texto estilizado (:eita:, :ace:, :eu_s2:, etc).

Linguagem, que tem elementos de conjuntos de linguagem, em português (como :ila_a:, :iloo: e :ae:) e em inglês (como :fae_faer: e :he_him:).

MSN, que reúne nossos emoticons de MSN (:msn_tempestade:, :msn_rosa:, :msn_anjo:, etc).

Nintendo , que reúne emojis de coisas da Nintendo e de seus jogos (como :zlink:, :n64: e :game_boy:).

(continua)

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Aromisia 

Tenho tido algum cuidado redobrado esses tempos, porque é muito fácil inserir diferentes relações em hierarquias de mais e melhores e colocar romance no topo. É uma coisa muito naturalizada, que tempo e convivência em espaços aro me lembra de não fazer. Dar igual atenção a diferentes relações é essencial, bora socializar o afeto e trazer anarquia pras relações 😄

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

De onde vem o termo caucasiane e porque ele é racista 

O uso do termo caucasiane para descrever pessoas brancas (e não só as pessoas da região do Cáucaso, que fica entre o Mar Negro e o Mar Cáspio) vem de um cara que dividiu a espécie humana em cinco raças, e que depois estudou uma série de crânios e usou eles como justificativa das diferenças entre raças.

Tal classificação racial usava uma cor e um nome baseado em alguma região. Então, como já devem ter percebido, uma das raças era a raça branca ou caucasiana.

O problema é que a justificativa para usar caucasiane era que havia um crânio achado na região do Cáucaso descrito como tão bonito e bem formado que seria certamente a origem da raça branca, ainda que a estrutura do crânio também fosse similar a de povos no norte da África e em algumas regiões da Ásia. Havia também em volta disso a teoria de que seria na região do Cáucaso que surgiram seres humanos, até porque seria o lugar teorizado onde a arca de Noé desembarcou e onde Prometeu cumpre seu castigo.

Ou seja, ao dizer que pessoas brancas são caucasianas, isso reforça a ideia de que humanes eram originalmente branques e da região do Cáucaso (o que é mentira, atualmente evidências apontam que humanes surgiram na África), além da ideia de que pessoas brancas são mais bonitas (e/ou perfeitas/inteligentes/melhores).

Infelizmente, eu não consegui achar nenhum material que explicitamente chama atenção para o racismo da categorização na língua portuguesa, então aqui vão algumas fontes em inglês:
raaw.wordpress.com/2007/10/15/
good.is/articles/the-last-coun
firstpost.com/world/the-racist
byrslf.co/a-horrible-hidden-fo

A imagem acabou ficando sem descrição. :blobtired:

Mas eu colocaria talvez...

"Um gato preto e branco dormindo meio torto, em cima de pernas em baixo de um cobertor rosa"

Mostrar conversa
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Sobre minhas identidades e como veem 

Aliás essa coisa de ser reduzido a metade é estressante em toda parte. Eu não sou meio gay e meio het por ser bi. Eu não sou meio allo meio ace por ser gray ace. Não é bem assim que funciona

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

A relevância das identidades de gênero pessoais

Ou "conceitos que deveriam ser mais usados em suas teorias de gênero pra você não repetir retórica cissexista e/ou exorsexista". amplifi.casa/~/Asterismos/a-re

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu
:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

O levantamento de fundos para a publicação do livro Bi: Notas para uma revolução bissexual em português está em seus últimos dias!

Link: catarse.me/bi

:s2_ace: :brilho_poliamor: :triforce: refletiu

Today is the last day of Ace Week, so let me share a nice blog post I stumbled upon today, which helps showing how broad the asexual experiences are, and in which terms ace people can be sex-positive.

“20 narratives of aces who like sex”, by Siggy: asexualagenda.wordpress.com/20

Mostrar mais antigos
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!