Mostrar mais recentes
:QueerInvader: refletiu

O Vote LGBT lança uma pesquisa sobre a comunidade durante a pandemia. Muito bem. Decidi ir lá e responder a essa pesquisa. Na identidade de gênero, usam finais o/a/e para a opção N-B. E então na orientação sexual tem LGB, pan, ace, hétero e "não sei". Não tenho nem como colocar minha própria orientação. E em seguida várias opções marcadas com finais o/a. Lembrei agora porque não respondo as pesquisas dessa galera.

:QueerInvader: refletiu

Opinião impopular: sim, você pode adotar determinado conjunto de linguagem só por birra. :party_parrot:

Algumas instâncias de Matrix disponíveis 

Pra quem quiser fazer conta no Matrix (substituto descentralizado de Telegram/Signal/WhatsApp/etc.), aqui tem algumas instâncias abertas:

the-apothecary.club/#/register
chat.pesso.al/#/register
matrix.cybre.space/#/register
join.gossip.land/#/register
halogen.chat/#/register
app.element.io/#/register

Não garanto quanto tempo elas estarão no ar, a velocidade das instâncias, a qualidade da administração das instâncias ou se os grupos hospedados em cada instância valem a pena. Sugiro ter ao menos uma conta extra caso o servidor caia ou caso haja a vontade de comparar instâncias.

:QueerInvader: refletiu

Dicas para Instagram. 

Oi, @ardydo. Eu não entendo absolutamente nada de leitura de tarô, portanto não posso falar sobre como administrar uma página com essa temática. Por isso vou te falar sobre como administrar a página com base no que eu aprendi ao longo do tempo com a minha página.

Eu tenho uma página no Instagram há mais de um ano que está atualmente com mais de 3,1 mil seguidories. O engajamento da minha página é alto, com em média 30 mil visitas únicas por mês, ou seja, eu tenho um pouco de conhecimento para te ajudar.

Antes de tudo, é importante você pensar no que você quer abordar em sua página, e como você quer fazer isso para que você possa encontrar sua persona, ou seja, as pessoas certas para te acompanhar. Como você disse que pretende alcançar pessoas para vender leituras de tarô, seria bacana você pensar em como será sua abordagem. Você quer passar um tom de autoridade? Um tom mais descontraído? Ou quem sabe passar um ar de humanidade? Entendendo essas etapas, você pode partir pra como será a apresentação do seu perfil, como ter um @ bacana e simples, para que as pessoas possam lembrar, uma foto de perfil que combine com seus posts, o que seria legal de se fazer, pois deixa tudo mais organizado, e o cérebro humano ama isso, kkk.

Eu, por exemplo, tenho um design para todas as minhas publicações, porque assim que as pessoas verem a publicação vão saber logo de início que é minha, porque eu tenho uma marca digamos que registrada na internet. A logotipo da minha página é a silhueta de uma galinha sobreposta numa bandeira arco-íris. Isso chama a atenção.

Em relação ao horário, isso é relativo. Tem horários específicos para casa tipo de publicação. Página de memes, por exemplo, postam normalmente ao meio-dia, que é a hora do almoço, normalmente, e de noite, por ter algumas pessoas rolando o Instagram vendo memes, vídeos aleatórios, e afins. Há pessoas que gostam de ver conteúdo informativo durante a noite, como eu por exemplo. O seu horário você poderá definir depois de um tempo com a página.

reducionismo de gênero em atração 

E tipo. Eu sou a favor de pessoas basearem as descrições de sua atração com base nas identidades de gênero das pessoas por quem sentem atração. Se uma dessas pessoas na situação de gostar de pessoas binárias e "quase/talvez binárias" quiser adotar um termo que inclua atração por mais de um gênero, eu sou totalmente a favor.

Mas também acho que dá pra pensar em cada situação de forma individual.

Se uma pessoa lunariana acha que deveria ser inclusa em atração por mulheres, e alguém sente atração por essa pessoa por conta de seu alinhamento com o gênero mulher, acho que faz sentido manter a utilização de um termo como lésbique ou feminamórique.

E se ume magi-homem acha que não deveria ser incluse em uma atração por homens por mais que seu gênero seja próximo, isso tem que ser respeitado também.

Mostrar conversa

reducionismo de gênero em atração 

O problema de discutir o quão abrangentes são termos que delimitam atração especificamente só por um gênero (especialmente gêneros binários que são mais comuns mas menos abrangentes) é que eu entendo que:

- Existem pessoas tecnicamente não-binárias ou talvez não-binárias mas que realmente estão muito próximas de um gênero binário. Faz sentido separar atração por uma pessoa transmasculina que não sabe dizer se é homem NB ou binárie de atração por homens? Faz sentido separar atração por alguém que é quivermulher e que sempre se sente mulher ou quase mulher de atração por mulheres? O quanto essa separação não invalida as identidades de gênero(/a viabinaridade) dessas pessoas?

- Existe uma diferença bem grande entre o item acima e "ah essa pessoa agênero tem barba e não tem seios e se veste com roupas da seção masculina então vou incluir na atração por homens e foda-se o que a pessoa pensa".

:QueerInvader: refletiu

Sei que a intenção é boa, e sei que isso indica que a pessoa possa ser mais mente aberta, mas ficar se declarando alguém "sem preconceito" é muito forçado e irreal.

Primeiro, antes de dizer que você não tem preconceito, você precisa ao menos ter noção de todos os preconceitos possíveis de existir. E duvido que exista alguém ciente de todos eles.

Segundo, no contexto atual, é impossível alguém não absorver minimamente todos os sistemas de opressão e as discriminações nes quais a sociedade se funda. Desconstrução é um processo pra vida toda.

Terceiro, mesmo que a pessoa consiga (milagrosamente) não cometer atos de preconceito, não significa que ela não pensa, não julgue, não se incomode, etc. O que pensamos e sentimos também reflete preconceitos.

Quarto, por último, e o mais polêmico: preconceito é algo natural. Todo mundo tem em qualquer lugar e em qualquer época. É comum pessoas reagirem ao que é novo, inusitado pra elas, e está tudo bem. A questão aqui é quando determinado preconceito se torna uma estrutura social de segregação, e isso vai além do individual.

E eu sei que não é com todo mundo, mas frequentemente pessoas até então "sem preconceitos" não demoraram pra falar merdas pesadas na minha frente. Então fico com receio de gente assim.

:QueerInvader: refletiu

Sobre drogas e redução de danos. 

As drogas, e quando digo drogas quero incluir bebidas alcoólicas também, não são o problema, o problema é as péssimas condições que o Estado proporciona às pessoas que usam elas. Se houvessem políticas públicas de redução de danos, por exemplo, muitas das pessoas que morreram de overdose ou coma alcoólico estariam vivas agora. As pessoas não focam em reduzir os danos que as drogas causam a elas. Eu, por exemplo, faço uso da maconha e bebida alcoólica, mas como tenho conhecimento em redução os danos, eu uso numa boa sem tantos prejuízos, sem contar que a maconha me ajuda bastante nos estudos e alimentação. Os problemas que dizem que as drogas causam são consequências da desinformação na realidade.

:QueerInvader: refletiu

valorize sua revolta: política, centrão, cpi da covid, história do brazsil 

qm tá acompanhando os babados da cpi viu q hj a principal esperança contra o bozo, pra qm acredita em politica institucional, eh uma figura bizzara mas mto emblematica da nossa politica, um dos q melhor representa o conceito de centrão, um politico q ja fez acordo com todas as bases governistas desde a redemocratização (vou deixar um link aq embaixo pra quem quiser saber mais)

eh curioso como isso reflete essa mania do estado brasileiro de seder a pressão popular sempre indiretamente, através de acordos e passações de pano

tipo a redemocratização, q não rolou por causa das diretas já, aquele movimento lindo q levou um monte de gte pras ruas, mas jah tava obvio q a ditadura n ia conseguir se manter, então fizeram um monte de acordo envolvendo inclusive a anistia dos criminosos de guerra

isso rola por aq desde a colonização e a independência, revoltas são violentamente massacradas pra depois a benevolencia estatal atender gentilmente as demandas populares, como rolou tb na abolição da escravidão, na proclamanção da república, etc etc

esse papo de q brasileiro eh um povo passifico eh uma imposição dos detentores do poder, uma cultura estabelecida a força pra manter poderosos no controle dos rumos da história, independente das conjunturas

estão nos tirando, desde o começo, a legitimidade das nossas revoltas, nos deixando alheies, ou alienades, das rédeas dos nossos destinos

nessa realidade, mis amigues, todo sentimento de revolta eh ouro! lembre-se, ao se olhar no espelho, sua revolta eh legítima, valorizem as revoltas das pessoas a seu redor, deixem q os gritos presos nas gargantas sejam ouvidos, temos mto com oq nos indignar

brasil.elpais.com/brasil/2021-

:QueerInvader: refletiu

??? ULT caiu e Amplificasa não? O que aconteceu? O_o

:QueerInvader: refletiu

Utilidade pública:

Medicamentos vencidos, ou que não serão mais usados, assim como embalagens vazias (com ou sem a bula) devem ser levades a algum ponto de recolhimento, e não descartades direto em lixos e muito menos em pias e esgotos.

Geralmente, toda farmácia e drogaria e postos de saúde podem fazer esse recolhimento. Apenas digam que é descarte e expliquem tudo que está sendo descartado também, pois certos tipos de medicamento podem precisar ser incinerados, por exemplo.

Jogar medicamentos vencidos ou em desuso em lixos comuns ou outros meios se configura como crime ambiental.

Boa semana a todes.

:QueerInvader: refletiu

ironia, feminismo radical 

"Um dos objetivos do feminismo radical é a abolição do gênero. Um exemplo disso é promover igualdade de gênero, para que meninos e meninas sejam criados da mesma forma."

Ah sim, vai abolir o gênero não abolindo a designação de gênero, que legal :thinkhappy:

:QueerInvader: refletiu

pedidos de dicas sobre instagram :boostsPorFavor: :mencoesPorFavor: 

Pessoal que tem página de insta, eu tô no processo de criar uma pra mim e tentar alcançar umas pessoas pra vender umas leitura de tarô. É.

Vocês tem algum material sobre? Tipo, horários e dias pra postar que tem mais gente, tipos de conteúdo que geram engajamento e esse tipo de coisa? (Insuportável mas infelizmente necessário) Aceito umas dicas também sobre... Bem, qualquer coisa.

Por material, digo textos, postagens, vídeos, blogs, etc. Qualquer coisa mesmo :)

:boostsPorFavor: :mencoesPorFavor:

:QueerInvader: refletiu

📰 DE OLHO NOS RURALISTAS | "Vandria Borari, indígena com celular citada por Salles, responde ao racismo do ministro" 

🔎 "Advogada e ceramista diz que uso de tecnologias é essencial para povos indígenas denunciarem crimes socioambientais do governo; titular do Meio A"...

🔗 deolhonosruralistas.com.br/202

📣 #panfleterobot #news #bot

:QueerInvader: refletiu

Para quem ainda não conhece, esta é uma conta utilizada para divulgar dias e horários de transmissões de filmes com representação e/ou temática NHINCQ+.

O próximo filme a ser transmitido será Better than Chocolate (Melhor que Chocolate), no dia 02/05 às 16h no horário de Brasília (UTC-3).

Para poder ver postagens com links das transmissões ou do Dudle das decisões de horários, é necessário seguir esta conta! Mais informações estão disponíveis no perfil e nos brilhos destacados.

:QueerInvader: refletiu

meta; sobre o maldito botão; piada 

atrasada mas ta ai minha opinião sobre o assunto

:QueerInvader: refletiu

:placa_viramorica: Página nova: viramórique
orientando.org/listas/lista-de

A página sobre feminamórique provavelmente vai ser feita nos próximos dias, já que a história e a proposta da identidade são bastante similares.

Mostrar mais antigos
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!