Proposta: um sinal gráfico a ser usado em palavras modificadas por neolinguagem que significa "feche ou abra esta vogal, de acordo com o que é o contrário do que você usa normalmente". Sugiro trema, porque não existe mais na língua portuguesa e quando existia só se usava como ü. 

Por exemplo, em relação à palavra ële, se alguém pronuncia ele como éli/"éle", a pessoa vai ter que pronunciar ële como êli/"êle", e se alguém geralmente pronuncia ele como "êle"/êli, a pessoa vai ter que pronunciar ële como éli/"éle".

Resolveria a questão de pessoas considerarem palavras como essie ou senhories ou seguidories muito pouco diferenciadas das versões associadas com o final o, e também resolveria a questão de sotaques diferentes considerarem que o certo é abrir ou fechar tais vogais normalmente.

Nota sobre linguagem que não usa o/ele/o como forma neutra 

Eu aprecio bastante o pessoal que quer se esforçar para não usar o/ele/o como a forma neutra da língua portuguesa. Afinal, como este é um conjunto de linguagem associado com homens, usá-lo como padrão acaba se tornando uma forma de dizer que o gênero homem é padrão e que o resto é exceção/menos normal.

Mas também peço que façam os seguintes esforços:

1) Ao invés de usar x/elx/x como padrão, considerem usar e/elu/e, ê/elu/e, le/elu/e, i/éli/i, i/íli/i ou outro conjunto que pareça mais natural de pronunciar, tanto para pessoas quanto para programas que leem telas.
Alguns recursos que podem ajudar nisso:
bloguealternative.wordpress.co (texto mais extenso)
facebook.com/story.php?story_f (recurso visual sobre como usar e/elu/e)
colorid.es/@Aster/101582049895 (lista com outros recursos)

2) Tomem cuidado com a concordância. Ao usar, por exemplo, ê/elu/e, é "umes menines" e "todes ês médiques", e não "uns menines" e "todes os médicos", por exemplo. E, em geral, ainda se escreve "as pessoas", "a gente", "aquela organização", "um anjo" e afins; você não precisa "passar" essas coisas para outros conjuntos de linguagem.

Recursos de neolinguagem (parte 2) 

O link sobre o que significa NCL agora é esse:
umegarotealternative.blogspot.

O que é neolinguagem?
orientando.org/o-que-e-neoling

Uma página detalhada sobre neolinguagem:
bloguealternative.wordpress.co

Guias simplificados sobre como usar artigo/pronome/final de palavra:
ajudanhincq.wordpress.com/2019
ajudanhincq.wordpress.com/2019

Como exemplificar seu conjunto de linguagem:
amplifi.casa/~/Asterismos/como

Porque você deveria usar artigo/pronome/final de palavra:
amplifi.casa/~/Asterismos/arti

...E por que não "elu/delu" ou afins?
amplifi.casa/~/Asterismos/moti

...E por que não "linguagem feminina/masculina/neutra/etc."?
exorsexismo.tumblr.com/post/17
amplifi.casa/~/Asterismos/cois
umegarotealternative.blogspot.

Sobre tradução de neolinguagem, ou pronomes como they/them e it/its:
medium.com/@vitor_rubiao/manua
umegarotealternative.blogspot.
ajudanhincq.wordpress.com/2019

Sobre "como eu digo [palavra sem final de palavra óbvio] usando neolinguagem?":
colorid.es/@Aster/101743907547

Propostas de palavras na neolinguagem além das que usam artigo/pronome/final de palavra (como alternativas para pai/mãe e essa/esse):
umegarotealternative.blogspot.
umegarotealternative.blogspot.
ajudanhincq.wordpress.com/2019
ajudanhincq.wordpress.com/2019
i.imgur.com/zT0odFa.png

Teste sobre conjuntos de linguagem:
asbits.itch.io/teste-sobre-con

Mostrar conversa

ódio contra conjuntos alheios, ~1000 caracteres 

Não é difícil justificar que você prefere/quer que certa linguagem seja usada como neutra sem menosprezar as escolhas de outras pessoas, ou agir como se ninguém tivesse pensado em como preencher certas falhas.

Exemplo disso acontecendo: "usar e como final de palavra é ruim porque tem palavras que ficam iguais a outras palavras e isso vai confundir todo mundo, tipo morte e este, usar [insira preferência] é o único jeito de resolver esse problema"

Como poderia ser: "usar e como final de palavra neutro universal pode não ser ideal porque certas palavras podem confundir (ex: morte) ou requerer conhecimento adicional extra para a diferenciação de palavras (ex: este/estie); eu proponho que usem [preferência], e que o uso do e fique para pessoas que pessoalmente preferem algo que 'parece mais a língua padrão', e que tenham paciência quando outras pessoas não entenderem como funcionam certas particularidades"

Terminei hoje um teste no Twine de 10 perguntas sobre conjuntos de linguagem.

asbits.itch.io/teste-sobre-con

Como diz a página, não é nada muito difícil, até porque a ideia é só que as pessoas treinem o pensamento em volta disso.

Meta: vamos falar sobre respostas que usam hashtags (~1400 caracteres, 3/3) 

E, honestamente, isso deveria valer pra situações nem tão sensíveis também.

Pense:

- Será que a pessoa vai apreciar ou se incomodar com a visibilidade aumentada de sua postagem?

- A postagem original e/ou a sua possuem alguma utilidade pra quem tá vendo a hashtag? Por exemplo, você não precisa usar em toda postagem que usa e como final de palavra, ou num contexto tipo "nem assisto mais ".

- Não é porque você pode usar hashtags que você precisa usá-las em todas as suas postagens.

Hashtags deveriam servir para achar pessoas falando de certos assuntos ou que se interessam em certos assuntos.

Sites onde pessoas tentam se promover usando qualquer tipo de hashtag possível só deixa as respectivas hashtags um lixo, impossíveis de achar alguma postagem legal nelas, porque para cada postagem relevante, tem mais 100 de pessoas que só queriam que sua postagem genérica e/ou sem relação com o assunto aparecesse pra mais gente.

E responder a pessoas que você não sabe se querem essa visibilidade extra com postagens pouco substanciais e cheias de hashtags não é cool e não está ajudando ninguém, só passa a impressão que você se importa mais com visualizações e cliques do que com o conforto alheio e com o conteúdo das hashtags.

Mostrar conversa

Sobre conjuntos de linguagem pessoal, toot longo (~1000 caracteres) e talvez agressivo 

"Eu uso esse conjunto" ou "esse é o meu conjunto" quer dizer:
- Que esse é o conjunto correto a ser usado para se referir àquela pessoa;
- Que a pessoa está corretamente identificando que ela usa esse conjunto, e que ele não necessariamente se aplica a outras pessoas com a mesma identidade de gênero, com a mesma expressão de gênero, etc.

O que "eu uso esse conjunto" ou "esse é o meu conjunto" NÃO quer dizer:
- Que a pessoa usa esse conjunto pra si, mas que você pode usar o que achar mais adequado;
- Que a pessoa prefere esse conjunto, mas que ele não é obrigatório;
- Que a pessoa quer que tal conjunto seja usado pra todo mundo;
- Que a pessoa só usa aquele conjunto para se referir a outras pessoas;
- Que isso significa que o conjunto da pessoa é o certo para todas as pessoas com sua identidade de gênero, expressão de gênero, etc.

Eu não sei o quanto pessoas que vivem num mundo aonde todos os conjuntos são óbvios e somente o/ele/o ou a/ela/a existem fingem não saber disso, ou se realmente não entendem, mas a mensagem tá aí pra quem precisar.

último boost meu fala sobre uma alternativa de final de palavra "neutro" na língua italiana! (Usando )

neolinguagem e sua fragilidade / toot longo 

As únicas coisas de neolinguagem em português que possuem algum alcance são:

- x/elx/x
- @/el@/@
- :elu_e:
- :ile_e: (talvez)
- su e mi como versões neutras de seu/sua e de meu/minha, respectivamente (talvez)

E, entre essas essas aí, acho bem provável que :elu_e: acabe virando padrão e o resto vá desaparecendo, fora, no máximo, pessoas que querem usar essa linguagem para si e que não usam esses conjuntos para usar "linguagem neutra universal".

Notem que eu não mencionei e ou ê como artigos, ou o sistema artigo/pronome/final de palavra, ou qualquer título por aí.

Também não mencionei ie como substituição para e em palavras aonde a letra e é utilizada para quem tem final de palavra o (es trabalhadories/es professories ao invés de os trabalhadores/os professores).

Isso não necessariamente significa que as coisas ali de cima são estabelecidas ou que as coisas não citadas nunca vão ser estabelecidas.

Mas, quanto menos espalhado algo for, mais frágil a coisa é.

Então não posso dar certeza, por exemplo, de que irmane vai ser com certeza a versão para quem usa -e de irmão/irmã. Porque alguém famose pode acabar lançando um livro que usa uma palavra diferente pra isso, e isso vai ter muito mais influência do que o punhado de pessoas que usa neolinguagem com frequência atualmente.

Eu quero que as pessoas tenham noção disso enquanto tentam cunhar ou depender de outras pessoas com pouca audiência para cunhar "versões neutras" de títulos e coisas assim.

Resposta para qualquer pergunta do tipo "como se diz [palavra com final de palavra flexível sem final de palavra identificável] em [conjunto de linguagem que envolve neolinguagem]?" 

Não existe resposta certa.

Embora pessoas usem @ ou x para "linguagem neutra" há anos, a maioria das pessoas não leva pessoas que não usam a/ela/a, o/ele/o ou alguma combinação entre essas em consideração.

"minhe namorade ou mi namorade?" questão de gosto ou preferência.

"guardiãe ou guardiane?" também.

"elu é bone nisso ou elu é boe nisso?" também.

"é melhor fazer uma versão da palavra que sirva pra todo mundo (ex: su), ou que tenha finais de palavra variáveis (ex: suy, sue, suae)?" cada pessoa vai ter sua preferência,e há bons motivos para existirem os dois tipos de palavras.

Mesma coisa vale para quando alguém pergunta: "se estou me referindo a uma pessoa que usa ela e outra que usa ély, uso elus, iles, élys, ou o quê? Usar eles parece estranho :/"

Isso depende do que você usa como pronome neutro. É uma boa ideia repensar que conjunto que você usa como neutro, se você ainda usa o/ele/o como universal se tem alguém que usa o/ele/o no meio.

"Se uma pessoa chamada Arin usa ê/ile/y, eu digo que algo é dê Arin, ou dy Arin?"

Eu diria que o final de palavra é mais feito para ficar nos finais das palavras (incluindo contrações envolvendo artigos) do que artigos, já que existem muitos artigos que começam com consoantes (dentro da neolinguagem). Mas é possível que Arin não se importe, ou que prefira que usem dê.

Novamente, eu posso dar sugestões, e, em certos casos, o que se usa mais frequentemente, mas não posso dar sugestões absolutas que são 100% aceitas por todo mundo.

Ainda estamos construindo essas alternativas, e qualquer pessoa pode vir construir junto.

Postagem nova em Ajuda NHINCQ+ 

Nesta postagem, consideramos algumas possibilidades para alternativas a mãe/pai e a avó/avô.

ajudanhincq.wordpress.com/2019

: Como vocês acham que devemos lidar com a diferença entre pessoas que não querem nada como terminação/final de palavra, e pessoas que preferem que palavras com finais de palavra flexíveis devam ser completamente evitadas para se referir a si?

ajudanhincq.wordpress.com/2019

Recursos de neolinguagem 

Para que procuram saber mais sobre , aqui estão links de... tudo, desde explicações até exemplos até exercícios até conceitos relacionados:

Linguagem:
orientando.org/forum/t/linguag

Conjuntos de linguagem (pdf)
orientando.org/wp-content/uplo

Qual é a sua linguagem? (pdf)
orientando.org/wp-content/uplo

Tipos de linguagem (ainda que esteja mais para exemplos de artigos/pronomes/finais de palavra:
orientando.org/listas/tipos-de

Testador de conjuntos:
orientando.org/conjuntos/

Exercícios:
orientando.org/forum/t/exercic

Gerador:
orteil.dashnet.org/randomgen/?

Em defesa de uma multiplicidade de pronomes:
medium.com/@ttextos/em-defesa-

Como criar um pronome?
medium.com/@ttextos/como-criar

Linguagem não-binária ou neutra
pt-br.identidades.wikia.com/wi

Não-conformidade de linguagem (ou "o que significa NCL?")
umgarotoalternativo.blogspot.c

Expansão do sistema artigo/pronome/final de palavra:
orientando.org/forum/t/expansa

sobre neolinguagem (exorsexismo / elitismo linguístico) 

Neolinguagem não é só "escrever como quiser".

Neolinguagem não é só "erros de quem não escreve direito".

"Escrever de qualquer jeito" prejudica pessoas disléxicas e que usam leitores de tela.

Neolinguagem significa adicionar algumas flexões extras, e, ocasionalmente, acentos diferenciais, para que pessoas que não se sentem confortáveis usando o/ele/o ou a/ela/a - linguagens frequentemente associadas com gêneros binários ou com características associadas a estes gêneros - possam existir confortavelmente sem que precisem lidar com essas conotações quando pessoas se referem a elas.

Qualquer língua muda e evolui através dos tempos. Não aceitar uma mudança que existe para incluir grupos marginalizados, ainda mais quando não só por diversão ou modinha, demonstra intolerância a esses grupos, e não qualquer compromisso com a preservação da língua ou da comunicação.

Além disso, acho bom apontar que é muito mais comum fazerem chacota com quem usa x/elx/x ou outros conjuntos que incluem neolinguagem do que com quem usa abreviações ("vc", "qlqr"), palavras em inglês que poderiam ser traduzidas, ou palavras mal traduzidas/flexionadas para um maior entendimento de quem fala português ("tuitando", "marketeiro"). Não estou apontando isso porque acho que deveriam reclamar disso também, e sim para apontar o quanto o viés dessas "críticas" sobre neolinguagem (ou termos usados por pessoas queer em geral) estragar a língua geralmente possuem viés cissexista ou heterossexista.

De qualquer forma, eu tenho uma memória melhor para regras gramaticais do que a maioria das pessoas que conheço, então ninguém precisa se preocupar sobre a questão dos meus esforços em incluir todes nas regras da minha instância (e não só todos ou todas) poder levar a eu me tornar uma pessoa incomunicável eventualmente. :)

(Exigir que pessoas escrevam tudo corretamente também é elitista, capacitista e uma porção de outras coisas, mas não é o caso de quando as pessoas reclamam da forma que eu escrevo, então não vejo motivos para falar sobre isso aqui.)

cc: @freenando75@coletivos.org, @maryjane

História curta dos prompts de neolinguagem, avisos de conteúdo aqui dentro 

Avisos de Conteúdo, da forma mais detalhada que consigo pensar para que ninguém seja pegue de surpresa:
- maldenominação
- disforia corporal e social
- questionamento contra neopronome
- presunção de gênero, orientação e linguagem baseada em aparência
- ambiente de faculdade
- conflitos com a família
- possíveis problemas financeiros

pastebin.com/zngkc9u5

Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais aqui!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!