Pautas que identidades não-binárias trazem à tona (toot longo) (1/2) 

- Identidade de gênero é algo que muita gente não vai ter certeza sobre, e há diversidade demais pra só colocar opções específicas em formulários. Portanto, documentos não deveriam ter gênero, e se for pra ter campo de gênero em sites e similares, não pode ser um campo imutável ou onde a pessoa não possa se descrever usando as palavras que quer.

- Da mesma forma, espaços segregados por gênero (banheiros, esportes, seguros, lojas de roupas, etc.) precisam deixar de existir. "Separar por genitália" também não é solução ou algo que faz tanto sentido quanto a maioria pensa. Proteções direcionadas a mulheres precisam ser repensadas de forma que não prejudiquem ou excluam pessoas que não são binárias.

- Se conjuntos de linguagem pessoais são uma forma de expressar gênero em línguas onde há tal distinção, coisas como pronomes e artigos precisam virar tão abertas como nomes dentro da gramática padrão.

- Nomes e conjuntos de linguagem podem mudar de tempos em tempos, especialmente para pessoas gênero-fluido. Além de pessoas precisarem ser informadas sobre isso, são necessários sistemas para estas coisas que não excluam pessoas que precisem dessa mudança (ex.: crachás diferentes com os nomes diferentes da pessoa no trabalho).

- Quando se fala sobre gênero, não dá pra agir como se só existisse homem/mulher/nenhum, masculine/feminine/neutre ou mulher/homem/estágios entre tais gêneros. Pessoas precisam ser ensinadas sobre a diversidade possível para melhorar a saúde mental de pessoas com identidades mais incomuns.

- Transição física precisa ser estudada e aplicada de formas além das focadas em pessoas trans binárias. Isso se aplica tanto a cirurgias quanto a efeitos de hormônios.

- Tecnologias que ajudam pessoas a disfarçar partes de seus corpos temporariamente (como binders) precisam ser melhoradas, porque nem todo mundo vai usá-las temporariamente "até a cirurgia".

Exorsexismo casual, desabafo 

Eu acabei de escrever um texto ligando uma série de comportamentos casualmente exorsexistas a dois ideais bem problemáticos, mas Colorid.es não quer federar ele, e, enfim, acho bom ter ele aqui na Local de qualquer modo:

amplifi.casa/~/Asterismos/o-ap

É muito comum ver gente perguntando "se eu sinto tal coisa, qual é meu gênero?", mas a coisa não funciona bem assim. É você quem tem que sentir que sua identidade de gênero se encaixa, independentemente de qualquer estereótipo que você preencha ou desejo que você tenha.

Mas, para quem está questionando, há um tempo atrás escrevi uma lista de características que pessoas podem usar para refletir o quanto se identificam com seu gênero designado, além de outro texto que pessoas podem usar para tentar entender qual é sua própria identidade de gênero. Espero que ajudem!

Indicadores para saber se você não é cis/ipso
ajudanhincq.wordpress.com/2019

“Acho que não me identifico totalmente com o meu gênero designado, e agora?”
ajudanhincq.wordpress.com/2019

avisos de utilidade pública sobre não-binaridade 

Eu geralmente não posto um monte de conteúdo "básico" porque remoer as mesmas coisas por meses e anos não me interessa. Mas entendo que todo mundo tem que começar a aprender em algum lugar.

Algumas concepções errôneas sobre identidades não-binárias podem ser encontradas acima, nesta sequência.

Outros recursos básicos que posso recomendar sobre o assunto são:

orientando.org/listas/lista-de (clique nas identidades que você quer saber mais!)

forum.orientando.org/thread-22 (viu algum termo de gênero e não sabe o que é? Abra a aba de identidades de gênero e pesquise pela palavra!)

forum.orientando.org/thread-47 (sobre exorsexismo, a discriminação contra pessoas não-binárias)

orientando.org/listas/lista-de (o que é cis e trans? Tem como não ser cis ou trans?)

bloguealternative.wordpress.co (o que é neolinguagem? Pra que serve?)

amplifi.casa/~/Asterismos/tudo (o que é linguagem pessoal? Pra que serve toda essa terminologia nova ao redor disso? Como posso ser respeitose no meu uso de linguagem pessoal?)

Se houverem dúvidas, posso responder.

Mostrar conversa

uingêneros (gêneros desconhecidos)! 

o conceito de é super legal, na minha opinião

tipo, seria relativamente lógico pensar que alguém não conhecer seu gênero é só... isso, não existirem nuances ou possibilidades

mas não! você pode ter uma identidade de gênero parcialmente desconhecida, sentir que tem mais de um gênero desconhecido diferente (porque eles passam uma impressão diferente), ter um gênero que você não consegue apontar mas que sabe que está perto de certo gênero ou de certa experiência, etc.

fora que o próprio sentimento de desconhecimento pode ser diferente para pessoas diferentes!

Ume labiplexe (mazeplexgender) vai descrever seu gênero como um lugar labiríntico onde a pessoa fica perdida, uma pessoa quizgênero sente que tem várias opções que podem servir mas não sabe qual a resposta certa, uma pessoa ectogênero tem sua identidade de gênero constantemente fora de seu alcance, uma pessoa verangênero ocasionalmente consegue entender sua identidade de gênero só para ela mudar depois que isso acontece, uma pessoa pomogênero simplesmente se recusa a descrever sua identidade de gênero, uma pessoa casgênero nem liga pra descobrir a própria identidade de gênero, uma pessoa quoigênero nem entende o conceito de gênero e por isso não consegue apontar sua identidade fora isso, uma pessoa gênero-vago não sabe do seu gênero por conta de neurodivergência...

é triste querer resumir tudo isso a "só usar" questionando ou genderqueer ou não-binárie; tem tantas formas legais de retratar e expressar esse desconhecimento, para quem tem interesse nisso!

Terminei hoje um teste no Twine de 10 perguntas sobre conjuntos de linguagem.

asbits.itch.io/teste-sobre-con

Como diz a página, não é nada muito difícil, até porque a ideia é só que as pessoas treinem o pensamento em volta disso.

mitos & verdades sobre identidades NB 

:placa_neurogenero:

exorsexistas: ah não, tem gente que tá pensando/fingindo que neurodivergências são gêneros!

pessoas neurogênero: meu senso de gênero está intrinsecamente ligado com minha neurodivergência, porque ela afeta como eu percebo gênero e/ou como gênero me afeta

:placa_condigenero:

exorsexistas: lol é óbvio que pessoas mudam o jeito que agem dependendo da situação, isso não tem a ver com mudar de gênero, isso seria ridículo

pessoas condigênero: gênero é construído socialmente e pode ser afetado por uma variedade de fatores, então não faz sentido querer que todas as mudanças de pessoas gênero-fluido sejam completamente aleatórias para serem válidas

:placa_xenogenero:

exorsexistas: tem gente pensando que personalidades/gostos/conceitos são gêneros! Isso é absurdo!

pessoas xenogênero: todo gênero é formado em volta de arquétipos, que muitas vezes envolvem estereótipos, mas eu não me sinto confortável com os arquétipos oferecidos por gêneros binários e nem com identidades não-binárias mais aceitáveis para quem considera gêneros binários como modelos de gênero ideais. Porém, parece certo pra mim que minha identidade de gênero existe e tem a ver com uma estética, um conceito, um sentimento, etc., e termos dentro da identidade xenogênero me dão essa liberdade de expressar os arquétipos que realmente me encaixo ou quero me encaixar, assim como muitas pessoas preferem os arquétipos de homem ou de mulher, independentemente de qualquer expressão ou papel de gênero que queiram ou não seguir.

Recomendação de YouTuber (toot longo). Vídeos dos links contém racismo, exorsexismo/cissexismo, alossexismo, uso de -fobia para falar de discriminação e discussão de coisas que podem causar disforia. 

Se você tem interesse em assistir mais pessoas NB no YouTube para este mês do orgulho, assistir é uma ótima ideia.

Vesper é ume maverique (que inclusive cunhou esse termo) assexual, bi/pan e negre, que faz uma série de vlogs sobre esses assuntos. Também recém voltou para os EUA depois de um período morando no Japão, então tem bastante vídeos sobre como foi a vida de Vesper lá.

youtube.com/user/QueerAsCat/vi

Em relação a vídeos específicos (nenhuma ordem em especial):

Esse é sobre como o argumento de que raça/gênero não existe é ridículo.
youtube.com/watch?v=XqIfLZ8_2m

Esse é um vídeo sobre como cabelo é muito ligado a raça e gênero, e sobre como as percepções de gênero são racializadas.
youtube.com/watch?v=V3qXIft758

Esse é um vídeo sobre inclusão assexual na comunidade:
youtube.com/watch?v=Z30z1nrqHg

Gostaria de lembrar ao pessoal de que 21/06 tem Marcha do Orgulho Trans, e que estou num grupo do WhatsApp para organizarmos um bloco não-binário. Caso alguém queira participar, avise! :flor_gq:

Pessoa NB em situação precária, link de doação, toot longo 

vakinha.com.br/vaquinha/um-nov

"Luci foi expulsa de casa por transfobia em 2017. Desde então, sua vida foi de muita luta e resistência. Por ser trans, tem dificuldade extrema no ingresso ao trabalho formal, e no momento passa por uma extrema situação de vulnerabilidade, sem casa, sem ter dinheiro para comida e sem emprego. Ajude Luci a mudar seu Universo."

Luci foi uma das primeiras pessoas que conheci da Rexistência Não-Binária. Tenho quase certeza que foi ilu quem teve a ideia de fazer o canal de Discord de lá (ainda que atualmente ele esteja inativo). É uma das poucas pessoas que tinha interesse em falar sobre cunhagem de terminologia, não necessariamente para gêneros, mas também para conceitos relacionados com cissexismo, ao menos naquela época.

Acabei de doar, e espero que esta postagem aqui incentive mais alguém a fazer o mesmo, caso possa.

Recursos de neolinguagem 

Para que procuram saber mais sobre , aqui estão links de... tudo, desde explicações até exemplos até exercícios até conceitos relacionados:

Linguagem:
orientando.org/forum/t/linguag

Conjuntos de linguagem (pdf)
orientando.org/wp-content/uplo

Qual é a sua linguagem? (pdf)
orientando.org/wp-content/uplo

Tipos de linguagem (ainda que esteja mais para exemplos de artigos/pronomes/finais de palavra:
orientando.org/listas/tipos-de

Testador de conjuntos:
orientando.org/conjuntos/

Exercícios:
orientando.org/forum/t/exercic

Gerador:
orteil.dashnet.org/randomgen/?

Em defesa de uma multiplicidade de pronomes:
medium.com/@ttextos/em-defesa-

Como criar um pronome?
medium.com/@ttextos/como-criar

Linguagem não-binária ou neutra
pt-br.identidades.wikia.com/wi

Não-conformidade de linguagem (ou "o que significa NCL?")
umgarotoalternativo.blogspot.c

Expansão do sistema artigo/pronome/final de palavra:
orientando.org/forum/t/expansa

Descobri hoje que existe um símbolo gênero-fluxo. Por conta dos seus degradês, não tenho confiança de que conseguiria fazer uma versão "mais grossa" do símbolo, então talvez esteja meio ruim de ver para instâncias aonde emojis não podem ser ampliados... mas enfim, aqui está: :SimboloGeneroFluxo: 

(Descrição: O símbolo é um dos símbolos trans que inclui agênero, uma combinação dos símbolos de Vênus [mulher] + Marte [homem] + NB + agênero, só que cada ponta do símbolo tem uma cor [NB = amarela, Marte = azul, Vênus = rosa] que vai se dissipando num degradê para a cor preta, sendo que a parte que é o símbolo agênero, o centro, é totalmente preta.)

Esse símbolo é legal porque, ainda que seja ruim de reproduzir sem imprimir, simboliza bem que pessoas gênero-fluxo podem ir de quaisquer gêneros até agênero/sem gênero, ou até qualquer estado entre esses.

A fonte do símbolo é genderfluxthings.tumblr.com/po ou archive.is/bTg3F

sobre neolinguagem (exorsexismo / elitismo linguístico) 

Neolinguagem não é só "escrever como quiser".

Neolinguagem não é só "erros de quem não escreve direito".

"Escrever de qualquer jeito" prejudica pessoas disléxicas e que usam leitores de tela.

Neolinguagem significa adicionar algumas flexões extras, e, ocasionalmente, acentos diferenciais, para que pessoas que não se sentem confortáveis usando o/ele/o ou a/ela/a - linguagens frequentemente associadas com gêneros binários ou com características associadas a estes gêneros - possam existir confortavelmente sem que precisem lidar com essas conotações quando pessoas se referem a elas.

Qualquer língua muda e evolui através dos tempos. Não aceitar uma mudança que existe para incluir grupos marginalizados, ainda mais quando não só por diversão ou modinha, demonstra intolerância a esses grupos, e não qualquer compromisso com a preservação da língua ou da comunicação.

Além disso, acho bom apontar que é muito mais comum fazerem chacota com quem usa x/elx/x ou outros conjuntos que incluem neolinguagem do que com quem usa abreviações ("vc", "qlqr"), palavras em inglês que poderiam ser traduzidas, ou palavras mal traduzidas/flexionadas para um maior entendimento de quem fala português ("tuitando", "marketeiro"). Não estou apontando isso porque acho que deveriam reclamar disso também, e sim para apontar o quanto o viés dessas "críticas" sobre neolinguagem (ou termos usados por pessoas queer em geral) estragar a língua geralmente possuem viés cissexista ou heterossexista.

De qualquer forma, eu tenho uma memória melhor para regras gramaticais do que a maioria das pessoas que conheço, então ninguém precisa se preocupar sobre a questão dos meus esforços em incluir todes nas regras da minha instância (e não só todos ou todas) poder levar a eu me tornar uma pessoa incomunicável eventualmente. :)

(Exigir que pessoas escrevam tudo corretamente também é elitista, capacitista e uma porção de outras coisas, mas não é o caso de quando as pessoas reclamam da forma que eu escrevo, então não vejo motivos para falar sobre isso aqui.)

cc: @freenando75@coletivos.org, @maryjane

História curta dos prompts de neolinguagem, avisos de conteúdo aqui dentro 

Avisos de Conteúdo, da forma mais detalhada que consigo pensar para que ninguém seja pegue de surpresa:
- maldenominação
- disforia corporal e social
- questionamento contra neopronome
- presunção de gênero, orientação e linguagem baseada em aparência
- ambiente de faculdade
- conflitos com a família
- possíveis problemas financeiros

pastebin.com/zngkc9u5

Toot de introdução novo! :toot: 

Sou Aster, administradore de colorid.es e do site orientando.org. Também tenho um site pessoal em construção em starrypride.neocities.org.

Adoro coisas sobre identidades /LGBTQIAPN+, e, por isso, sei bastante sobre rótulos relacionados a gêneros e orientações. Sinta-se livre para pedir ajuda com isso.

Tenho outros interesses, como fotografia, design, questões de justiça social em geral e jogos, mas raramente posto sobre eles aqui.

Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais aqui!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!