Acompanhar

Um áudio que estará no final da parte 10 da série de Bugsnax que estou filmando com a Isa. Como tenho o áudio separado, resolvi postar aqui também.

É basicamente a minha reação a terem usado o pronome ile para ume personagem que usa they/them em inglês, e apontamentos que tenho em relação a isso.

(Na descrição eu vou colocar o script, que tá mais organizado do que eu falei mas é quase a mesma coisa.)

script do áudio 1/2 

Oi, aqui é ze Aster de novo.

Um monte do que eu comentei nesta transmissão ficou cortado, e no próximo vídeo o áudio ainda vai estar cortado por ser a mesma transmissão, mas acho que falar sobre representação não-binária e de diversidade de linguagem pessoal e neutra é importante o suficiente pra eu ressaltar meus pontos. Eles são:

- Usar neolinguagem no conjunto de linguagem pessoal de alguém que usa they/them na mídia original em inglês é ótimo! Muitas vezes, a tradução prefere manter uma linguagem "que tem mais a ver com a aparência" de forma cissexista (ex.: a/ela/a pra personagens não-bináries que "parecem mulheres" pra quem é cissexista), ou quem está traduzindo não entende o uso de they/them para indivíduos e traduz como "ele ou ela" ou "eles".

- Além disso, colocar neolinguagem numa tradução é um passo muito melhor do que só evitar conjuntos de linguagem marcados, visto que existem pessoas não-binárias de verdade que usam neolinguagem no dia-a-dia. Pra nós, é ótima a normalização de pessoas que não usam a/ela/a, o/ele/o ou outras ~coisas dentro de gramática padrão~. O uso de neolinguagem nos valida: não é uma modinha de "ativistas extremistas" na internet, é uma parte integral da vida de muita gente.

(Não que conjuntos de linguagem só sejam válidos quando reconhecidos por mais gente, mas tem gente que só vai se dispor a usar as linguagens pessoais de certas pessoas quando estes forem normalizados. Isso vale especialmente pra quem não quer só usar um "neutro padrão da língua", independentemente de qual for aceito no futuro.)

- Porém, o uso do pronome ile é estranho, visto que a maior parte das pessoas não-binárias usa o pronome elu como "neutro" (e portanto como uma tradução adequada para they/them). No vídeo, pergunto se quem traduziu pegou isso do SSEX BBOX, uma empresa que muitas vezes é contratada pra ensinar sobre questões LGBTQIAPN+ e que tem uma página/postagem (?) chamada Manifesto Ile, defendendo o uso de ile como pronome neutro (isso antes de elu ser tão popular como pronome neutro).

script do áudio 2/2 

- Também comento como é legal o esforço de quem traduziu pra manter o uso de -/-/- para a pessoa que está jogando, de forma que nosso avatar nesse mundo nunca é classificado como alguém que usa a/ela/a, o/ele/o ou outra coisa.

- Daí eu também pergunto se vão usar algum final de palavra específico para Floofty (que é quem usa they/them), ou se só vão usar algo como -/ile/-.

- Também comento que é estranho usarem "pile" na contração por + artigo, visto que ela fica "pelo" ao invés de "pele" para quem usa o/ele/o. Sim, pele já é uma palavra na língua portuguesa, mas pelo também é!

- O problema de quando se usa essa linguagem neutra de forma estranha ou incompleta é que isso acaba ficando estranho para pessoas que estão acostumadas a usar neolinguagem em linguagem neutra no dia-a-dia, e muitas vezes é até desrespeitoso quando, por exemplo (fora do jogo) alguém diz que não sabe qual é o plural de professore se professores é o plural de professor, ou que não conseguiu achar o que dizer ao invés de meu/minha em relação a quem usa final de palavra e quando várias pessoas já estão aí usando mi ou minhe.

Enfim, recomendo ler os recursos em singlel.ink/u/conjuntos, singlel.ink/u/neolinguagem e singlel.ink/u/linguagemneutra caso alguém aqui queira aprender mais sobre como usar conjuntos além de a/ela/a e o/ele/o, especialmente se o objetivo é praticar isso no dia-a-dia e não só ao ter que se referir a uma ou outra pessoa não-binária.

Espero que estejam gostando da série, ainda que o áudio esteja meio cortado nestes últimos vídeos!

ainda sobre o áudio 

Ah, uma coisa que eu acabei não explicando bem e que só pensei agora: a questão do desrespeito em relação a quando alguém usa mas não sabe coisas básicas sobre neolinguagem é que isso pode demonstrar que:

- a pessoa não se importa tanto assim com neolinguagem, pra ela é só uma escrita estranha que é usada em alguns espaços e que não é necessário pensar muito em como usar ela;

- parece que a pessoa acha que ela é a primeira que se deparou com algum desses conflitos onde só o pronome ou o final de palavra não bastam, o que ignora anos de pessoas não-binárias ensinando, falando, e discutindo sobre o que fazer nesses casos. Não é difícil ler o que alguém que usa neolinguagem como linguagem neutra escreve e achar alguma instância de "mi" ou "essus", assim como não é difícil achar guias que falem pra usar "professories" ou "sues".

Pode não haver consenso pra muitas palavras, mas só quem é contra neolinguagem decide jogar as mãos pra cima e dizer que a proposta é impossível ou mal pensada demais pra "pegar" por conta dessas coisas, ao invés de pensar em quais soluções já foram usadas ou de inventar uma solução que seja coerente com o resto do conjunto de neolinguagem.

Entre para participar dessa conversa
Colorid.es

Uma instância com foco em pessoas queer/LGBTQIAPN+ que falam português. Saiba mais em sobre.colorid.es!

Qualquer pessoa pode criar uma conta, independentemente de orientação, gênero, relação do gênero atribuído ao nascimento com identidade de gênero ou corporalidade. Só não se esqueça de ler nossas regras!

Hi there, English speakers! You can see information regarding this instance by clicking here!